O tempo bom e ensolarado deste fim de semana atraiu banhistas até as praias de toda Baixada Santista. Mas, o que era para ser um domingo de lazer, acabou se transformando em chateação para turistas e comerciantes da orla do Itararé (entre a Pedra da Feiticeira e o teleférico), em São Vicente. Tudo por conta da quantidade de campos de futebol armados na areia. 

Segundo um comerciante da região, o movimento cai 90% nestes casos. "Estou aqui há mais de uma década e desde o ano passado para cá, tem sido assim. Os fregueses acabam fugindo para pontos distantes devido aos campos armados, um ao lado do outro”, denuncia. De acordo com ele, várias reclamações já foram feitas à Prefeitura, porém sem sucesso. “Nunca vieram aqui”.

N/A
Futebol na praia do Itararé afasta turistas que aproveitam a baixa temporada em São Vicente
Distante desse ponto, mas na mesma faixa de areia, uma família de turistas de Sorocaba reclama da postura dos boleiros. "Alugo um apartamento em frente ao Itararé há anos, mas depois das últimas visitas e de hoje, vou reavaliar o custo-benefício", queixa-se o turista. 

Ele, que não quis se identificar, diz que teve de escolher outro ponto na orla, bem mais afastado do local alugado para o fim de semana, para poder curtir a praia. “É muito chato, tivemos que preparar isopor e abdicar do conforto dos quiosques, carregar coisas e andar muito com crianças”, reclama. 
O turista também avalia que a postura de alguns jogadores não favorece o ambiente familiar do local. “Há muitos deles tomando banho após o jogo usando apenas cueca”.

É permitido
Procurada, a Prefeitura de São Vicente, por meio da assessoria de comunicação, explicou que de acordo com a lei municipal, a prática de esportes no Itararé, entre a Pedra da Feiticeira e teleférico, é permitida entre os meses de março e outubro, em qualquer horário. Nos meses de novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, entretanto, é liberado até as 9 horas ou depois das 17 horas. 

A Administração Municipal ressalta, porém, que eventuais abusos podem ser denunciados via telefone 199, da Guarda Municipal.